domingo, 21 de julho de 2013

ADORO RETICÊNCIAS...





Adoro reticências... Aqueles três pontinhos intermitentes que insistem em dizer que nada está fechado, que nada acabou, que algo sempre está por vir! A vida se faz assim! Nada pronto, nada definido. Tudo sempre em construção. Tudo ainda por se dizer... Nascendo... Brotando... Sublimando... Vivo assim... Numa eterna reticência... Para que colocar ponto final? O que seria de nós sem a experiência de continuação?




... por isso que eu me identifico tanto com 'Carlos Drummond de Andrade' e 'Fernando Pessoa' ... eles também não gostam do terminado, definido, eles e suas obras são sempre movimentos...



2 comentários:

  1. Oi, Roberta eu também adoro as reticências, são pausas que dão movimento aos escritas e um motivo para ir em frente. Um abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Bia eu gosto muito!!! Para quem acompanha minhas publicações já deve ter notado isso... risos! Faz parte de mim...

      Abraços (...) para você!



      Excluir