segunda-feira, 16 de outubro de 2017

SEJA VOCÊ por OSHO



Quando você começa a ficar responsável em relação a si mesmo, começa a abandonar suas máscaras. Os outros começam a se sentir perturbados, porque eles sempre tiveram expectativas e você satisfazia essas exigências. Agora eles sentem que você está ficando irresponsável.

Quando os outros dizem que você está sendo irresponsável, estão simplesmente dizendo que você está saindo do controle deles. Você está ficando mais livre. Para condenar o seu comportamento, eles o chamam de irresponsável.
Na verdade, sua liberdade está crescendo e você está se tornando responsável. Responsabilidade significa a habilidade de responder. Ela não é uma obrigação que precisa ser satisfeita no sentido comum. Ela é capacidade de responder, sensibilidade.

Porém, quanto mais sensível você se tornar, mais descobrirá que muitas pessoas acham que você está ficando irresponsável – e você precisa aceitar isso -, porque os interesses delas, os investimentos delas não serão satisfeitos. Muitas vezes você não satisfará as suas expectativas, mas ninguém está aqui para satisfazer as expectativas dos outros.

A responsabilidade básica é para com você mesmo. Assim, um meditador primeiro se torna muito egoísta. Porém, mais tarde, quando ele ficar mais centrado, mais enraizado em seu próprio ser, a energia começará a transbordar. Mas isso não é uma obrigação, não é que a pessoa precise fazê-lo. Ela adora fazê-lo; trata-se de um compartilhar.

Osho




quinta-feira, 27 de julho de 2017

FELICITAÇÕES PELOS 15 ANOS DA MINHA FILHA AMADA MARIA EDUARDA CARRILHO



🍃🌸🌷🌸♥🌸🌷🌸🌷🌸🌷🌸🌷🌸🌷🌸🌷🌸🌷🌸🌷🌸🌷🌸🌷🌸🌷🌸🌷🌸🌷🌸🌷🌸🌷🌸🌷🌸🍃






 #BomDiaFilhaQuerida# 🎂


💕 Hoje, filha querida, você está fazendo 15 anos…

💕 Que emoção para um coração de mãe que te carregou no ventre e desejou para sua vida os melhores e maiores sonhos.

💕 Que data especial para se fazer planos de felicidade! Solte sua alegria e deixe-a bailar no compasso da emoção!

💕 Você é uma linda jovem que está deixando para trás um mundo de bonecas e de fantasias infantis, para fazer parte do mundo maduro e complicado dos adultos.

💕 Não tema nada minha filha, ao seu lado estou e estarei sempre, pois meu amor por você é infinito, forte e ultrapassa qualquer fronteira de tempo ou de distância.

💕 Eu te amo filha e quero que sintas a minha emoção por te ver completar 15 anos.

💕 Viva intensamente o dia de hoje, ele é inteiramente seu e receba o carinho de todas as pessoas que te cercam e que te desejam somente o bem.

💕 Este momento agora é somente o começo, o início de uma vida linda e plena de realizações que você irá trilhar, com todo o meu amor e o meu apoio por muitos anos.


🎉🎊🎏 Parabéns filha pelos seus 15 anos! 🎂🍰 
🍃Maria Eduarda Carvalho Carrilho Clébicar Nogueira🍃 
... é o nome que eu lhe dei há 15 anos atrás pra você fazer parte deste mundo e da minha vida. Minha filha! 

☺Parabéns meu amor! 


Que os seus sonhos mais secretos possam ser realizados, que você tenha força, equilíbrio, energia, amor, respeito por todos, saúde física e emocional, coragem, humildade, benevolência, paciência e fé.

Estes são os meus desejos pra sua vida hoje e sempre.
🍃♥🍃

🍃"Nunca me esqueça porque eu nunca poderei viver sem você. Meu amor é eterno e pra sempre por você." 🍃

Mamãe ♥


🍃🌸🌷🌸♥🌸🌷🌸🌷🌸🌷🌸🌷🌸🌷🌸🌷🌸🌷🌸🌷🌸🌷🌸🌷🌸🌷🌸🌷🌸🌷🌸🌷🌸🌷🌸🌷🌸🍃

O PECADO POLÍTICO por Rander Maia


Obrigada meu amigo querido Rander Maia de Boa Esperança  por compartilhar comigo mais uma das suas fantásticas crônicas. Sempre carinhoso e amoroso comigo.

Roberta Carrilho 
  


A política é uma causa nobre e a bíblia diz que devemos orar pelos nossos governantes. Ela é importante para servir ao país e ao povo, mas do jeito que está sendo exercida no Brasil, ela macula e desvirtua seus objetivos. 

Numa outra crônica usei pela primeira vez o termo “pecado político” para expressar a falência do sistema político no país e o descalabro da atuação dos políticos brasileiros nas últimas décadas. A corrupção institucionalizada, a incompetência e o descompromisso dos nossos governantes, senadores, deputados federais e estaduais com os interesses da nação, dos estados e do povo não é novidade na vida política brasileira. Mas, sem dúvida alguma, é a maior que já existiu nesse país, que parece esquecido por Deus, desde que o Brasil se tornou independente. Jamais existiu coisa parecida. Desde que o Brasil trocou os governos militares por essa democracia corrompida nunca tivemos tantos desgovernos e tanta corrupção. Existe coisa mais imoral que o foro privilegiado dos políticos, que só existe no Brasil, para crimes comuns? O congresso e as assembleias consagram a impunidade. Os homens do poder, ao assumirem um mandato pensam somente em seus próprios interesses, em acumular riqueza e status em detrimento dos verdadeiros interesses da nação e do povo. No Brasil a maioria dos partidos políticos é criada para atender interesse de corporações e ou projetos políticos pessoais. Atualmente são 35 partidos. É surreal. Na verdade não são partidos. São legendas. Não têm ideologia e não cumprem os seus próprios programas. Têm interesses. Não pensam no Brasil. Não são patriotas. Disse o, escritor Diogo Mainardi, “Brasil não tem partido de direita, de esquerda, de nada, tem um bando de salafrários que se unem pra roubar juntos”. 

Criam-se verdadeiras organizações políticas criminosas que permitem cuidarem tranquilamente de seus interesses pessoais, na busca pelo poder, não para servir ao povo, mas o poder pelo poder, para se servirem e se abastarem com o dinheiro público. Muitas obras que são realizadas pelos nossos governantes mais com o intuito de levarem vantagens ou mesmo roubarem e se locupletarem do que propriamente para servir a população. Alguns são espertalhões. Sabem roubar e não são descobertos ou ainda não foram, embora todos sabem da origem de sua riqueza. Hipócritas. Pensam que o povo é tolo. E mesmo quando pegos em suas falcatruas, têm o cinismo de dizerem: Foi tudo feito dentro da lei e as contas foram aprovadas. São profissionais do cinismo. Tentam desqualificar os críticos na tentativa de vestir a trapaça com o verniz da lisura. Uma desfaçatez. É o roubo institucionalizado. É, sim, a exploração dos trabalhadores pelos governantes, senadores, deputados e ocupantes de cargos do alto escalão, em todos os poderes da república, que vão acumulando vantagens, benefícios e benesses com seus altos salários que chegam a receber 40, 50 e 80 mil reais mensais ou mais. Recebem auxílios e mais auxílios. Falta vergonha. Sobra ganância. E o povo pergunta: Para que servem o Congresso Nacional e as Assembleias Estaduais que deveriam ser os guardiões da democracia e da decência? Para nada responde a maioria da população. Ah sim, servem de balcão de negócios escusos dos políticos corruptos. Infelizmente. Enquanto isso, as mais diversas categorias profissionais tão úteis e importantes à sociedade brasileira não tem o valor nem a remuneração que merecem. 

A corrupção e a ganância dos políticos brasileiros devastam o país e essa roubalheira institucionalizada retira os recursos da saúde pública, da segurança, da educação, das obras de infraestrutura necessárias ao país. Recentemente num programa de televisão do jornalista Alexandre Garcia com especialistas no assunto, ele afirmou que o Congresso brasileiro gasta para atender a assistência médica, paga com os recursos públicos, dos senadores e deputados o equivalente ao que 5.500 municípios brasileiros gastam para atender a assistência à saúde de seus munícipes. Afirmou, também, que o fundo partidário criado pelos políticos com verbas públicas para os partidos políticos fazerem politicagem é um saque escamoteado e um acinte a dignidade do povo brasileiro. 

Os governos do Brasil contemporâneo insistem em cobrar mais e mais impostos, quando poderiam cortar as despesas supérfluas, os privilégios e a corrupção. Recursos absurdos são subtraídos na forma de aposentadorias kafkianas e injustas e privilégios descabidos para políticos e ocupantes de altos cargos públicos. Sem falar nos milhares cargos comissionados desnecessários criados somente para acomodar seus apaniguados. O povo brasileiro trabalha cinco meses do ano somente para sustentar uma máquina administrativa onerosa, ineficiente desses governos perdulários, corruptos e incompetentes. O povo brasileiro vive uma distopia, termo usado pelo escritor e jornalista inglês George Orwell para designar a opressão governamental, e assim o povo brasileiro vive oprimido pela corrupção, pela excessiva carga tributária, pelo imposto de renda injusto e desumano que tanto sacrifica a classe média, pelos péssimos serviços públicos e pelo podre sistema político. É o império da opressão. 

Agora, o Governo Federal, cujos donos do poder ostentam polpudas aposentadorias, apresenta uma proposta criminosa e covarde de reforma da previdência que é uma violência e muito prejudica os trabalhadores e suas viúvas. E ainda a sensação de impotência, pois, aqueles que deveriam defender o interesse do povo, em sua maioria, são corrompidos e venais. Certamente os privilegiados políticos e os marajás do serviço público não estarão incluídos nela ou encontrarão outras formas de se beneficiarem. E com essa reforma, que vai provocar o empobrecimento dos trabalhadores e da classe média brasileira, os brasileiros irão se aposentarem na hora da morte. Dom Walmor Oliveira de Azevedo, arcebispo de Belo Horizonte, afirmou em entrevista a jornal “Estado de Minas”: “falta moral a maioria dos atuais deputados e senadores para reformar a previdência”. Segundo especialistas em seguridade social, a previdência social urbana não é deficitária. Temos um governo podre e medíocre. 

É injusto e opressivo recolher impostos cada vez mais escorchantes do povo trabalhador para enriquecer os políticos e atender as suas mordomias. Os recursos que faltam nos serviços públicos de qualidade, na construção de obras de interesse da população são consumidos pela corrupção, pelos altos salários dos ocupantes de cargos públicos ou jogados no ralo do desperdício. Empobreceram o país. Vivemos uma democracia corrompida e um sistema político apodrecido. Elegemos políticos para nos roubarem. Mas a verdade é que ultimamente Brasil tem sido governado por organizações criminosas travestidas de partidos políticos. A intemperança desses políticos rasga a alma brasileira. 

Os recursos roubados são o dinheiro retirado do povo pelos impostos absurdos. É o pecado político. É o pecado cometido pelos políticos que roubam e se locupletam disfarçados com o verniz da honestidade que não possuem e acham que enganam o povo. Certamente o inferno estará cheio desses políticos e governantes desonestos e dissimulados. O Brasil e os brasileiros estão mal servidos com seus governantes e representantes no parlamento e nas assembleias estaduais. Com honrosas exceções. 
Como diz o padre Fábio de Melo; “O poder não é fonte de vaidade”. 

Nem de enriquecimento ilícito. Isso mesmo, eles são eleitos para servir ao país e ao povo e não para se servirem. O Brasil tem jeito, mas o sistema político tem que mudar e as mordomias e privilégios dos políticos têm que acabar. Estamos acomodados e não adianta somente nos indignar. É preciso reagir e manifestar repúdio contra esse descalabro dos políticos e dos governantes brasileiros. A desilusão e a descrença com a política e com os políticos são generalizadas. BASTA.


AUSTERIDADE PARA QUEM?


Após o golpe, Michel #ForaTemer busca se legitimar com o discurso de austeridade financeira. Emenda Constitucional nº 95 (Pec do Fim do Mundo), terceirização, antirreforma trabalhista, destruição da Previdência, aumento do PIS/Cofins dos combustíveis e, por último, o programa de demissão voluntária (PDV) para os servidores públicos do Poder Executivo. Tudo isso com o falacioso “argumento” de cobrir o “rombo” do orçamento. O discurso é neoliberal de sempre.

Mas, qualquer pingo de legitimidade que ele pudesse vir a ter foi para o ralo com a desfaçatez com que verbas públicas para atender a um desejo individual: a sua manutenção no poder. Para garantir o apoio do Congresso, Temer derrama rios de dinheiro em emendas parlamentares para a base aliada, aumenta cargos de confiança no Executivo.

Individual? Mas e a aprovação da antirreforma trabalhista não seria uma demonstração de força de Michel Temer? Não. A trabalhista passou porque havia uma comoção, em função da composição social do Senado Federal e da Câmara dos Deputados, para votar ao seu favor. A maioria é formada por empresários míopes de visão estratégica e que votam por interesse próprio, e não para favorecer o Temer. Há uma coincidência de propósitos




O PODER DA ALMA


Do ontem, traga o máximo de experiencias que puder, do hoje, faça o seu melhor, e tenha cautela. Agindo assim, para o amanhã, você terá infinitas surpresas e merecimento digno do que tiver que colher.



terça-feira, 4 de abril de 2017

MORO SE IRRITA COM PROCURADORES


Curitiba Urgente: Força tarefa faz reunião de emergência, e o clima é tenso! (veja em tela cheia) - Vídeo de Paulo Sérgio 

Adorei!! 
Bem assim mesmo este deusmoro fascista kkkkkk
Roberta Carrilho 







quarta-feira, 22 de fevereiro de 2017

GRATIDÃO SENTIMENTO DE PESSOAS NOBRES DE CARÁTER E CORAÇÃO....


Bom Carnaval para todos!!!!
Roberta Carrilho



P.s.: Eu não curto carnaval (carne que nada vale) mas para quem gosta então se joga ... na folia - rs 



INGRATIDÃO MATA PAIXÃO, ALIÁS, MATA TUDO!! NADA SOBREVIVE ESTE SENTIMENTO MENOR E HORRÍVEL



Precisamos parar de tentar agradar aos ingratos, de servir gente folgada, de nutrir amizades duvidosas, para que possamos percorrer somente os encontros verdadeiros.


Passamos muito tempo fazendo a coisa certa para as pessoas erradas, sofrendo as consequências das péssimas escolhas pelo caminho, sofrendo à toa por coisas inúteis e gente sem conteúdo, alimentando vãs esperanças em relação ao que não tem a menor chance de vir a acontecer. Perdemos muito tempo investindo no vazio, esperando retorno do que não volta, aguardando sorrisos de quem nem nos olha direito. É preciso focar no que é real, pois, mesmo que não haja muito de verdadeiro nesses terrenos, esse pouco bastará.

Precisamos parar de tentar agradar aos ingratos, às pessoas descontentes e incapazes de receber algo de fora. Existem indivíduos que se encontram por demais fechados ao acolhimento do que não se encontra dentro deles, do que não faz parte daquele mundinho em que eles se fecham, presos a crenças e sentimentos que não mudam, não são repensados, não saem do lugar. Tentar alcançá-los é inútil.

É necessário evitar a servidão aos folgados, aos aproveitadores, a quem não sai do lugar por si só, a quem foge a qualquer tipo de responsabilidade, pois sabe que alguém sempre fará por ele. Temos que ter clareza quanto ao que realmente devemos e poderemos tomar para nós, ou acumularemos cargas de bagagens que não são, nem de longe, relacionadas às nossas vidas. Muita gente precisa de ajuda, sim, mas muitos precisam é de vergonha na cara.

Não podemos nutrir amizades duvidosas, com pessoas que não expressam a menor necessidade de nós, como se tanto nossa presença quanto nossa ausência fossem a mesma coisa, algo sem importância, invisível, dispensável. Nem todos de quem gostamos irão gostar de nós, o retorno da estima e da afeição nunca é uma certeza, portanto, há necessidade de que adentremos exclusivamente os encontros verdadeiros.

Não é fácil nem tranquilo conseguirmos acertar quanto ao que poderemos regar com a certeza de retorno e reciprocidade, uma vez que as pessoas, os acontecimentos, a vida, tudo é imprevisível. Embora muito do que acontecerá em nossas vidas não possa ser controlado, mantermos sob controle nossas verdades e a certeza de que merecemos ser felizes nos tornará mais fortes diante dos tombos, sem que desistamos de nossos sonhos.


EXISTÊNCIA by Paulo Coelho



''Precisamos esquecer o que achamos ser...
Para que possamos realmente ser o que somos.''

Paulo Coelho


sexta-feira, 20 de janeiro de 2017

A ALMA É UMA BORBOLETA por Rubem Alves


"A alma é uma borboleta. Há um instante em que uma voz nos diz que chegou o momento de uma grande metamorfose." Rubem Alves
.







segunda-feira, 9 de janeiro de 2017

ESTOU EM LUTO!!! Morre o sociólogo e filósofo Zygmunt Bauman


O intelectual tinha 91 anos e era considerado um dos principais pensadores do século XX


O filósofo e sociólogo polonês Zygmunt Bauman morreu nesta segunda-feira (9), em Leeds, na Inglaterra, informou o jornal polonês Gazeta Wyborzca. A causa da morte não foi divulgada. Aos 91 anos, Bauman era considerado um dos intelectuais mais importantes do século 20. Ele deixou a mulher, Janine Lewinson-Bauman, e três filhas. 

Nascido em Poznan, no oeste da Polônia, em 1925, Bauman fugiu do nazismo, ainda pequeno, com a família para a União Soviética. Lá, serviu na Segunda Guerra Mundial pelo Exército local.

Mais tarde voltou à Polônia, onde foi professor da Universidade de Varsóvia. O que não durou muito. Destituído do posto, teve obras censuradas e foi expulso do Partido Comunista do qual era afiliado.

Em 1968, deixou a Polônia por conta de perseguições antissemitas. Mais tarde, renunciaria à sua nacionalidade e se instalaria em Tel Aviv, em Israel. Anos depois, se fixou Universidade de Leeds, na Inglaterra, onde desenvolveu a maior parte de sua carreira.

Com uma visão crítica da realidade, Bauman era considerado um pessimista.

Um intelectual que se manteve ativo e trabalhando até os últimos momentos de sua vida. Uma de suas teorias mais conhecidas era a da “modernidade líquida” – que compreende um período de intensa mudança na humanidade: tudo que era sólido se liquidificou. De acordo com o conceito, agora “nossos acordos são temporários, passageiros, válidos apenas até novo aviso”.

A filosofia, a cultura, o individualismo, o avanço da desigualdade, a revolução digital, a efemeridade das relações a partir dessa revolução são algumas questões estudadas pelo pensador – que se tornou uma figura de referência em diferentes campos do conhecimento.

A maioria dos livros de Bauman foi traduzida para o português. Seu último título lançado no Brasil foi A Riqueza de Poucos Beneficia Todos Nós? (editora Zahar). Nele, o polonês aborda as atuais consequências do neoliberalismo que triunfou na sociedade capitalista nos aos 80.

O filósofo deu aula em universidades dos Estados Unidos, Austrália e Canadá, sendo professor emérito de sociologia da Universidade de Leeds, onde trilhou a maior parte de sua carreira. Sua obra, que começa nos anos cinquenta, foi reconhecida com prêmios como o Príncipe das Astúrias de Comunicação e Humanidades em 2010, que obteve juntamente com o colega Alan Touraine.

As teorias de Bauman exerceram grande influência nos movimentos antiglobalização. Seus ensaios alcançaram fama internacional nos anos oitenta, com títulos como Modernidade e Holocausto (1989), em que define o extermínio dos judeus pelos nazistas como um fenômeno relacionado ao desenvolvimento da modernidade. Em sua última entrevista concedida ao EL PAÍS, Bauman fez uma dura crítica às redes sociais: "As redes sociais não ensinam a dialogar porque é muito fácil evitar a controvérsia… Muita gente as usa não para unir, não para ampliar seus horizontes, mas ao contrário, para se fechar no que eu chamo de zonas de conforto, onde o único som que escutam é o eco de suas próprias vozes, onde o único que veem são os reflexos de suas próprias caras. As redes são muito úteis, oferecem serviços muito prazerosos, mas são uma armadilha". 

Entre suas obras mais significativas, destacam-se Modernidade Líquida (2000), em que afirmava que o capitalismo globalizado estava acabando com a solidez da sociedade industrial; Amor Líquido (2005); e Vida Líquida (2006). Além disso, é autor de títulos como A Cultura Como Praxis (1973, sem tradução no Brasil), O Mal-Estar da Pós-Modernidade (1997), A Globalização: As Consequências Humanas (1998), Em Busca da Política (1999), A Sociedade Individualizada(2001) e Vidas Desperdiçadas (2005). 

Entre seus trabalhos publicados em português, também encontram-se Medo Líquido (2006), A Arte da Vida (2008), Desafios do Mundo Moderno (2015) e A Riqueza de Poucos Beneficia Todos Nós? (2015). 

Relações, consumo e globalização: 9 pensamentos de Zygmunt Bauman que vão chacoalhar sua mente 


A seguir, conheça 9 pensamentos deixados pelo intelectual 

1) Sobre identidade e redes sociais

“A diferença entre a comunidade e a rede é que você pertence à comunidade, mas a rede pertence a você. É possível adicionar e deletar amigos, e controlar as pessoas com quem você se relaciona. Isso faz com que os indivíduos se sintam um pouco melhor, porque a solidão é a grande ameaça nesses tempos individualistas. Mas, nas redes, é tão fácil adicionar e deletar amigos que as habilidades sociais não são necessárias. Elas são desenvolvidas na rua, ou no trabalho, ao encontrar gente com quem se precisa ter uma interação razoável. Aí você tem que enfrentar as dificuldades, se envolver em um diálogo [...] As redes sociais não ensinam a dialogar porque é muito fácil evitar a controvérsia… Muita gente as usa não para unir, não para ampliar seus horizontes, mas ao contrário, para se fechar no que eu chamo de zonas de conforto, onde o único som que escutam é o eco de suas próprias vozes, onde o único que veem são os reflexos de suas próprias caras. As redes são muito úteis, oferecem serviços muito prazerosos, mas são uma armadilha.” Trecho extraído de entrevista ao El País

2) Sobre consumo e poder de escolha

“Numa sociedade sinóptica de viciados em comprar/assistir, os pobres não podem desviar os olhos; não há mais para onde olhar. Quanto maior a liberdade na tela e quanto mais sedutoras as tentações que emanam das vitrines, e mais profundo o sentido da realidade empobrecida, tanto mais irresistível se torna o desejo de experimentar, ainda que por um momento fugaz, o êxtase da escolha. Quanto mais escolha parecem ter os ricos, tanto mais a vida sem escolha parece insuportável para nós.” Trecho extraído do livro Modernidade Líquida

3) Sobre o sofrimento mediado pelo consumo

“Algum tipo de sofrimento é um efeito colateral da vida numa sociedade de consumo. Numa sociedade assim, os caminhos são muitos e dispersos, mas todos eles levam às lojas. Qualquer busca existencial, e principalmente a busca da dignidade, da autoestima e da felicidade, exige a mediação do mercado.” Trecho extraído do livro Vida Líquida.

4) Sobre redes sociais e privacidade

“Os adolescentes equipados com confessionários eletrônicos portáteis são apenas aprendizes treinando e treinados na arte de viver numa sociedade confessional – uma sociedade notória por eliminar a fronteira que antes separava o privado e o público, por transformar o ato de expor publicamente o privado numa virtude e num dever público (…)” Trecho extraído do livro Modernidade Líquida

5) Sobre globalização e uma humanidade interligada 

“Nós somos responsáveis pelo outro, estando atento a isto ou não, desejando ou não, torcendo positivamente ou indo contra, pela simples razão de que, em nosso mundo globalizado, tudo o que fazemos (ou deixamos de fazer) tem impacto na vida de todo mundo e tudo o que as pessoas fazem (ou se privam de fazer) acaba afetando nossas vidas.” Trecho extraído do livro Modernidade Líquida

6) Sobre o Brasil 

“Vocês estão no caminho certo e eu espero de todo o meu coração que vocês cheguem lá. Eu apenas direi que os representantes de 66 governos do mundo vieram para o Rio de Janeiro para se consultarem, para aprenderem sobre a experiência de retirar 22 milhões de pessoas da pobreza. Ninguém mais repetiu esse milagre, só o Brasil. Desejo que continuem isso, mas também agora algumas deficiências estão vindo à tona”. Trecho extraído de entrevista ao jornalista Alberto Dines, em 2015.

7) Sobre a pós-modernidade globalizada

“Na hierarquia herdada dos valores reconhecidos, a ‘síndrome consumista’ destronou a duração, promoveu a transitoriedade e colocou o valor da novidade acima do valor da permanência.” Trecho extraído do livro Vida Líquida.

8) Sobre relacionamentos em um mundo individualista

"Em nosso mundo de furiosa individualização, os relacionamentos são bençãos ambíguas. Oscilam entre o sonho e o pesadelo, e não há como determinar quando um se transforma no outro. Na maior parte do tempo, esses dois avatares coabitam - embora em diferentes níveis de consciência. No líquido cenário da vida moderna, os relacionamentos talvez sejam os representantes mais comuns, agudos, perturbadores e profundamente sentidos da ambivalência." Trecho extraído do livro Amor Líquido

9) Sobre relacionamento e riscos 

"Não se deixe apanhar. Evite abraços muito apertados. Lembre-se de que, quanto mais profundas e densas suas ligações, maiores os seus riscos. (...) E lembre-se, claro, de que apostar todas as suas fichas em um só número é a máxima insensatez!" Trecho extraído do livro Amor Líquido


LEIA TAMBÉM: 

ZYGMUNT BAUMAN: BABEL ENTRE A INCERTEZA E A ESPERANÇA por Leonardo Cazes (08/08/2016)


NÓS, OS FABRICANTES DE SOLIDÃO publicado em sociedade por Mariana Ribeiro


domingo, 25 de dezembro de 2016

CANTOR GEORGE MICHAEL MORRE AOS 53 ANOS


Cantor britânico é dono de hits como 
"Careless whisper" e "Freedom 90"


O cantor britânico George Michael, que ficou famoso nos anos 1980 como integrante do grupo Wham! e, mais tarde, manteve o sucesso na carreira solo, morreu aos 53 anos, informou um representante do artista citado pela imprensa internacional. 

Em um comunicado divulgado pela BBC, o representante do artista disse: "É com grande tristeza que podemos confirmar que o nosso astro, irmão e amigo George faleceu pacificamente em casa durante o período de Natal". 


Em 2011, Michael adiou uma série de shows após ser levado ao hospital para tratar uma pneumonia.


Após o tratamento em um hospital de Viena, ele fez uma aparição pública emocionada do lado de fora da sua casa em Londres. Os médicos chegaram a fazer uma traqueostomia para manter as vias aéreas do cantor abertas e possibilitar sua respiração.


Quando eu estava grávida da minha filha, Maria Eduarda Carrilho, no apartamento do Haroldo em BH  ela ficava mexendo muito dentro de mim... e colocava várias músicas para ver se ela acalmava mas não! Vários artistas... como por exemplo:  Adriana Calcanhotto, Billy Paul, Marisa Monte, A-ha, U2, Radiohead entre outros, mas um dia eu coloquei o CD do George Michael e na mesma hora parou de mexer na minha barriga.



Ai toda vez que ela ficava agitada eu sempre colocava o CD para ela ouvir e era como um calmante, eu sentia que ela adorava. E hoje, agora ele acaba de falecer... que fique para registro. Faz parte da nossa história de vida, antes dela nascer neste mundo. Quando eu e ela éramos uma só carne.


Filha era este o CD que você adorava ouvir quando estava dentro de mim na minha gravidez, ou nossa gravidez:

 “LADIES AND GENTLEMEN”   
[The Best Of George Michael, 1998]





DALLAGNOL, PARE DE FAZER TEATRO COM POWERPOINT by Eugênio Aragão


Eugênio Aragão é o cara!


De mais "Aragões" e menos "Dallagnois"

... É DE LAVAR A ALMA!! 

Obrigada por traduzir nesta carta tudo o que queríamos dizer a este arrogante e tosco procurador federal, este falso moralista, este justiceiro parcial, pífio que fala em Deus mas engaveta tudo que seja contra a Globo ou contra tucanos (PSDB), pmdebistas (PMDB) e demistas (DEM), e só tem uma obsessão, Lula, PT e suas ideologias entreguistas!!!! Aplausos!!! O melhor texto sobre este tema que já li até hoje!

Minha cartinha aberta ao Dallagnol




Meu caro colega Deltan Dallagnol,


"Denn nichts ist schwerer und nichts erfordert mehr Charakter, als sich in offenem Gegensatz zu seiner Zeit zu befinden und laut zu sagen: Nein."
(Porque nada é mais difícil e nada exige mais caráter que se encontrar em aberta oposição a seu tempo e dizer em alto e bom som: Não!) ___ Kurt Tucholsky


Acabo de ler por blogs de gente séria que você estaria a chamar atenção, no seu perfil de Facebook, de quem "veste a camisa do complexo de vira-lata", de que seria "possível um Brasil diferente" e de que a hora seria agora. Achei oportuno escrever-lhe está carta pública, para que nossa sociedade saiba que, no ministério público, há quem não bata palmas para suas exibições de falta de modéstia.

Vamos falar primeiro do complexo de vira-lata. Acredito que você e sua turma são talvez os que têm menos autoridade para falar disso, pois seus pronunciamentos têm sido a prova mais cabal de SEU complexo de vira-lata. Ainda me lembro daquela pitoresca comparação entre a colonização americana e a lusitana em nossas terras, atribuindo à última todos os males da baixa cultura de governação brasileira, enquanto o puritanismo lá no norte seria a razão de seu progresso. Talvez você devesse estudar um pouco mais de história, para depreciar menos este País. E olha que quem cresceu nas "Oropas" e lá foi educado desde menino fui eu, hein... talvez por isso não falo essa barbaridade, porque tenho consciência de que aquele pedaço de terra, assim como a de seu querido irmão do norte, foram os mais banhados por sangue humano ao longo da passagem de nossa espécie por este planeta. Não somos, os brasileiros, tão maus assim, na pior das hipóteses somos iguais, alguns somos descendentes dos algozes e a maioria somos descendentes das vítimas.

Mas essa sua teorização de baixo calão não diz tudo sobre SEU complexo. Você à frente de sua turma vão entrar na história como quem contribuiu decisivamente para o atraso econômico e político que fatalmente se abaterão sobre nós. E sabem por que? Porque são ignorantes e não conseguem enxergar que o princípio fiat iustitia et pereat mundus nunca foi aceita por sociedade sadia qualquer neste mundão de Deus. Summum jus, summa iniuria, já diziam os romanos: querer impor sua concepção pessoal de justiça a ferro e fogo leva fatalmente à destruição, à comoção e à própria injustiça.

E o que vocês conseguiram de útil neste País para acharem que podem inaugurar um "outro Brasil", que seja, quiçá, melhor do que o vivíamos? Vocês conseguiram agradar ao irmão do norte que faturará bilhões de nossa combalida economia e conseguiram tirar do mercado global altamente competitivo da construção civil de grandes obras de infraestrutura as empresas nacionais. Tio Sam agradece. E vocês, Narcisos, se acham lindinhos por causa disso, né? Vangloriam-se de terem trazido de volta míseros dois bilhões em recursos supostamente desviados por práticas empresariais e políticas corruptas. E qual o estrago que provocaram para lograr essa casquinha? Por baixo, um prejuízo de 100 bilhões e mais de um milhão de empregos riscados do mapa. Afundaram nosso esforço de propiciar conteúdo tecnológico nacional na extração petrolífera, derreteram a recém reconstruída indústria naval brasileira. Claro, não são seus empregos que correm riscos. Nós ganhamos muito bem no ministério público, temos auxílio-alimentação de quase mil reais, auxilio-creche com valor perto disso, um ilegal auxílio-moradia tolerado pela morosidade do judiciário que vocês tanto criticam. Temos um fantástico plano de saúde e nossos filhos podem frequentar a liga das melhores escolas do País. Não precisamos de SUS, não precisamos de Pronatec, não precisamos de cota nas universidades, não precisamos de bolsa-família e não precisamos de Minha Casa Minha Vida. Vivemos numa redoma de bem estar. Por isso, talvez, à falta de consciência histórica, a ideologia de classe devora sua autocrítica. E você e sua turma não acham nada de mais milhões de famílias não conseguirem mais pagar suas contas no fim do mês, porque suas mães e seus pais ficaram desempregados e perderam a perspectiva de se reinserirem no mercado num futuro próximo. Mas você achou fantástico o acordo com os governos dos EEUU e da Suíça, que permitiu-lhes, na contramão da prática diplomática brasileira, se beneficiarem indiretamente com um asset sharing sobre produto de corrupção de funcionários brasileiros e estrangeiros. Fecharam esse acordo sem qualquer participação da União, que é quem, em última análise, paga a conta de seu pretenso heroísmo global e repassaram recursos nacionais sem autorização do Senado. Bonito, hein? Mas, claro, na visão umbilical corporativista de vocês, o ministério público pode tudo e não precisa se preocupar com esses detalhes burocráticos que só atrasam nosso salamaleque para o irmão do norte! E depois fala de complexo de vira-lata dos outros!

O problema da soberba, colega, é que ela cega e torna o soberbo incapaz de empatia, mas, como neste mundo vale a lei do retorno, o soberbo também não recebe empatia, pois seu semblante fica opaco, incapaz de se conectar com o outro.

A operação de entrega de ativos nacionais ao estrangeiro, além de beirar alta traição, esculhambou o Brasil como nação de respeito entre seus pares. Ficamos a anos-luz de distância da admiração que tínhamos mundo afora. E vocês o fizeram atropelando a constituição, que prevê que compete à Presidenta da República manter relações com estados estrangeiros e não ao musculoso ministério público. Daqui a pouco vocês vão querer até ter representação diplomática nas capitais do circuito Elizabeth Arden, não é?

Ainda quanto a um Brasil diferente, devo-lhes lembrar que "diferente" nem sempre é melhor e que esse servicinho de vocês foi responsável por derrubar uma Presidenta constitucional honesta e colocar em seu lugar uma turba envolvida nas negociatas que vocês apregoam mídia afora. Esse é o Brasil diferente? De fato é: um Brasil que passou a desrespeitar as escolhas políticas de seus vizinhos e a cultivar uma diplomacia da nulidade, pois não goza de qualquer respeito no mundo. Vocês ajudaram a sujar o nome do País. Vocês ajudaram a deteriorar a qualidade da governação, a destruição das políticas inclusivas e o desenvolvimento sustentável pela expansão de nossa infraestrutura com tecnologia própria.

E isso tudo em nome de um "combate" obsessivo à corrupção. Assunto do qual vocês parecem não entender bulhufas! Criaram, isto sim, uma cortina de fumaça sobre o verdadeiro problema deste Pais, que é a profunda desigualdade social e econômica. Não é a corrupção. Esta é mero corolário da desigualdade, que produz gente que nem vocês, cheios de "selfrightousness", de pretensão de serem justos e infalíveis, donos da verdade e do bem estar. Gente que pode se dar ao luxo de atropelar as leis sem consequência nenhuma. Pelo contrário, ainda são aplaudidos como justiceiros.

Com essa agenda menor da corrupção vocês ajudaram a dividir o País, entre os homens de bem e os safados, porque vocês não se limitam a julgar condutas como lhes compete, mas a julgar pessoas, quando estão longe de serem melhores do que elas. Vocês não têm capacidade de ver o quanto seu corporativismo é parte dessa corrupção, porque funciona sob a mesma gramática do patrimonialismo: vocês querem um naco do estado só para chamar de seu. Ninguém os controla de verdade e vocês acham que não devem satisfação a ninguém. E tudo isso lhes propicia um ganho material incrível, a capacidade de estarem no topo da cadeia alimentar do serviço público. Vamos falar de nós, os procuradores da república, antes de querer olhar para a cauda alheia.

Por fim, só quero pontuar que a corrupção não se elimina. Ela é da natureza perversa de uma sociedade em que a competição se faz pelo fator custo-benefício, no sentindo mais xucro. A corrupção se controla. Controla-se para não tornar o estado e a economia disfuncionais. Mas esse controle não se faz com expiação de pecados. Não se faz com discursinho falso-moralista. Não se faz com o homilias em igrejas. Se faz com reforma administrativa e reforma política, para atacar a causa do fenômeno é não sua periferia aparente. Vocês estão fazendo populismo, ao disseminarem a ideia de que há o "nós o povo" de honestos brasileiros, dispostos a enfrentar o monstro da corrupção feito São Jorge que enfrentou o dragão. Você e eu sabemos que não existe isso e que não existe com sua artificial iniciativa popular das "10 medidas" solução viável para o problema. Esta passa pela revisão dos processos decisórios e de controle na cadeia de comando administrativa e pela reestruturação de nosso sistema político calcado em partidos que não merecem esse nome. Mas isso tudo talvez seja muito complicado para você e sua turma compreenderem.

Só um conselho, colega: baixe a bola. Pare de perseguir o Lula e fazer teatro com PowerPoint. Faça seu trabalho em silêncio, investigue quem tiver que investigar sem alarde, respeite a presunção de inocência, cumpra seu papel de fiscal da lei e não mexa nesse vespeiro da demagogia, pois você vai acabar ferroado. Aos poucos, como sempre, as máscaras caem e, ao final, se saberá que são os que gostam do Brasil e os que apenas dele se servem para ficarem bonitos na fita! Esses, sim, costumam padecer do complexo de vira-lata!

Um forte abraço de seu colega mais velho e com cabeça dura, que não se deixa levar por essa onda de "combate" à corrupção sem regras de engajamento e sem respeito aos costumes da guerra.


Fonte:


quinta-feira, 22 de dezembro de 2016

É pau! É PEC !! É o fim do SUSinho! É tanto desgosto! E um povo sorrindo by Thi Borges!



É pau
É PEC
É o fim do SUSinho 
É tanto desgosto 
E um povo sorrindo 

É telhado de vidro, um governo do mal 
Meu direito esvaindo 
E o adeus pro pré-sal 
É a noite, é a morte, é o abraço fatal 
É peroba na cara, 
E um nó na garganta 
Caí na besteira de ser feito de anta 

É um tropeço, 
É uma ponte, 
Uma sangria estancada 
Mas isso tudo pro Bonner 
Vale um minuto e mais nada 

É a selfie com Cunha 
La no Galeão 
São as águas de Temer Fechando o acordão 
É a promessa de escapar lá na delação 

É a Globo fudendo
O Aécio cheirando 
A PM batendo
O STF gostando 
Pedalada valendo 
E o rombo aumentando 

Faculdade cortada, 
Pra que gasto com pobre? 
Mas os juros da dívida 
Que abarrota o cofre 
São as águas de Temer Afogando a Nação 
O banquete dos ratos Torrando um milhão 


Composição Thi Borges 



domingo, 18 de dezembro de 2016

DICAS DO BEM VIVER por Dalai Lama



· Dê mais às pessoas, mais do que elas esperam, e faça isso com alegria;

· Não acredite em tudo que você ouve, gaste tudo o que você tem e durma tanto quanto você queira;

· Quando disser "Eu te amo", olhe as pessoas nos olhos;

· Fique noivo pelo menos seis meses antes de se casar;

· Acredite em amor à primeira vista;

· Nunca ria dos sonhos de outras pessoas;

· Ame profundamente e com paixão;

· Você pode se machucar, mas é a única forma de viver a vida completamente;

· Em desentendimentos, discuta de forma justa, não use palavrões;

· Não julgue as pessoas pelo seus parentes;

· Fale devagar, mas pense com rapidez;

· Quando alguém perguntar algo que você não quer responder, sorria e pergunte: "Por que você quer saber?";

· Lembre-se que grandes amores e grandes conquistas envolvem riscos;

· Ligue para sua mãe;

· Diga "Saúde!" quando alguém espirrar;

· Quando você se der conta que cometeu um erro, tome as atitudes necessárias;

· Quando você perder, não perca a lição;

· Lembre-se dos três "Rs": respeito por si próprio, respeito ao próximo e responsabilidade pelas ações;

· Não deixe uma pequena disputa ferir uma grande amizade;

· Sorria ao atender o telefone, a pessoa que estiver chamando ouvirá isso em sua voz;

· Case com alguém que você goste de conversar; ao envelhecerem suas aptidões de conversação serão tão importantes quanto qualquer outra;

· Passe mais tempo sozinho;

· Decore seu poema favorito;

· Abra seus braços para as mudanças, mas não abra mão de seus valores;

· Lembre-se de que o silêncio, às vezes, é a melhor resposta;

· Leia mais livros e assista menos TV;

· Confie em Deus, mas tranque o carro;

· Uma atmosfera de amor em sua casa é muito importante, faça tudo que puder para criar um lar tranquilo e com harmonia;

· Em desentendimentos com entes queridos, enfoque a situação atual, não fale do passado;

· Leia o que está nas entrelinhas;

· Reparta o seu conhecimento, é uma forma de alcançar a imortalidade;

· Seja gentil com o planeta;

· Reze, há um poder incomensurável nisso;

· Nunca interrompa enquanto estiver sendo elogiado;

· Cuide da sua própria vida;

· Não confie em alguém que não fecha os olhos enquanto beija;

· Uma vez por ano, vá a algum lugar onde nunca esteve antes;

· Lembre-se que o melhor relacionamento é aquele em que o amor de um pelo outro é maior do que a necessidade de um pelo outro;

· Julgue seu sucesso pelas coisas que você teve que renunciar para conseguir;

· Lembre-se de que seu caráter é seu destino;

· Usufrua o amor e a culinária com abandono total;

· Se você ganhar muito dinheiro, coloque-o a serviço de ajudar os outros enquanto você for vivo; esta é a maior satisfação de riqueza.





quarta-feira, 30 de novembro de 2016

15 COISAS QUE MULHERES MADURAS NÃO FAZEM NUM RELACIONAMENTO por Sônia Penha

eu - junho 2016

Diferenças de personalidade existem, é o que nos torna únicas, mas, se não tomarmos cuidado, podem gerar desacordo e conflito no relacionamento. Para evitar isso confira algumas coisas que as mulheres maduras não fazem e que contribuem para um bom relacionamento.

1. Não sacrificam outros relacionamentos
Durante um relacionamento existem aqueles que se afastam dos amigos, porém, é importante lembrar que os amigos e familiares estão a mais tempo na sua vida. As mulheres maduras buscam o equilíbrio feliz entre aqueles que elas amam.

2. Não se esquecem de agradecer ao seu parceiro
Depois de algum tempo no relacionamento é fácil esquecer de apreciar as pequenas coisas que o parceiro faz. Para as mulheres maduras compartilhar sua vida com alguém é uma dádiva, por isso não se esquecem de dizer por favor e obrigada.

3. Valorizam a independência financeira
Mesmo que o companheiro tenha uma boa condição financeira, e ela não se envolve com homens que não procuram ter sua própria independência. As mulheres maduras gostam de ter sua independência financeira, mas se precisar sentem felizes em poder contribuir e aliviar o fardo do companheiro quando ele necessita sem cobrança.

4. Não se concentram nas características ruins do seu parceiro
As mulheres maduras buscam as características boas de seus parceiros, em vez daquilo que é ruim e negativo. Se concentram no que eles fazem e dizem de bom e tentam não os julgar por suas falhas, pois entendem que elas também as têm. Se precisar ela fala no ponto e ponto.

5. Não desistem dos seus sonhos
As mulheres maduras compreendem que o bom relacionamento traz o que há de melhor nelas e as incentiva a perseguir os seus sonhos, pois o contrário as faria infeliz.

6. Não pensam que a sua versão de felicidade seja a única
As mulheres maduras entendem que cada um tem seu modo de ser feliz. Se o parceiro precisa e gosta de espaço ou carinho, elas lhe dão em lugar de fazerem suposições sobre como fazê-lo feliz.

7. Não abrem mão do respeito próprio
É comum os cônjuges mudarem um pouco durante um relacionamento, mas o respeito próprio deve haver. As mulheres maduras não deixam que seus companheiros as tratem mal e falem de forma negativa, esperam que eles as tratem bem, aos filhos e a todos em sua vida.

8. Não subestimam as palavras "Eu te amo"
Não importa quanto tempo estejam juntos, as mulheres maduras compreendem o significado e a importância dessa expressão, demonstrando esse amor a cada dia nas atitudes e em palavras, nos momentos certos, para que seus companheiros saibam o quanto elas os apreciam.

9. Não abrem mão da felicidade
As mulheres maduras compreendem que devem ser felizes, que se elas não se sentem assim num relacionamento sabem que ambos precisam mudar e contribuir para conseguir essa felicidade e somente se isso não for possível devem buscar algo melhor. Ambos são parte dessa felicidade e devem ser alguém que pode trazer conforto e alegria nas horas de tristeza.

10. Sentem que não precisam estar em contato com seu parceiro sempre
As mulheres maduras não precisam estar em contato o tempo todo com seus companheiros, são seguras o suficiente para confiar neles e não desperdiçam seu tempo trocando e-mails e mensagens de texto a cada instante, mas usam seu tempo com sabedoria para realizar seus afazeres e edificar seu relacionamento.

11. Não deixam que seu parceiro tome todas as decisões
Num relacionamento maduro ambos respeitam as decisões de cada um. Desde grandes decisões, como se casar e ter filhos, até as mais simples, como que programa irão fazer à noite. Ambos devem considerar as decisões um do outro fazendo com que elas contribuam para o fortalecimento do amor e a felicidade de ambos.

* por exemplo: (o rompimento de um antigo relacionamento que tive há algum tempo atrás se deu quando o pai da minha filha caçula decidiu por conta própria aproveitar de uma ocasião que eu estava bêbada sem uso de anticoncepcional - aguardando colocação do DIU - e usou da prerrogativa da confiança que eu tinha nele para fazer sexo neste período mesmo ciente de uma possível gravidez tudo isso para realizar seu sonho e não o meu naquele momento. Ele rompeu nosso pacto, quebrou a confiança. Senti traída e desrespeitada na minha individualidade. Fiquei grávida 2 dias antes da colocação do DIU. Não aceitei. Separamos)

12. Não compartilham sua relação com o mundo
As mulheres maduras entendem a importância e o valor de manter a relação entre ela e o seu parceiro. Não gostam que o mundo saiba tudo sobre sua relação e suas coisas particulares, evitam apresentar sua vida e argumentos nas mídias sociais, família, parentes, amigos e se concentram em comunicar com o seu parceiro para resolver os problemas e expressar o seu amor e sentimentos.

13. Não abrem mão do seu espaço

As mulheres maduras, mesmo com um relacionamento maravilhoso, apreciam e precisam, às vezes, de um tempo sozinhas para ir à academia, ler um bom livro, viajar com filhos ou sozinha, realizar algo bom; valorizam esse tempo para crescerem, serem mais felizes e assim poder contribuir positivamente no relacionamento.

14. Não se ressentem com as conquistas do seu parceiro

Amar alguém significa querer que ele seja tão feliz quanto possível, e as mulheres maduras entendem isso e desejam isso para o seu parceiro. Elas abraçam a felicidade dele e celebram suas conquistas, em vez de freá-los por razões egoístas.

15. Não abrem mão de sua identidade

Num relacionamento é normal ficarmos atraídos pelos interesses e passatempos do parceiro por ser divertido compartilhar interesses comuns, mas as mulheres maduras não perdem seus próprios interesses, elas participam de ambos, valorizando e incentivando o que cada um gosta, proporcionando paz e bem-estar na sua relação.

A relação que temos com nosso parceiro precisa ser um dos motivos de maior recompensa na vida. A pessoa com a qual partilhamos momentos de alegria deve ter um lugar especial. As mulheres maduras compreendem isso e procuram, sem comprometer sua felicidade, tornar sua relação mais feliz, saudável e forte do que os problemas.


O QUE VOCÊ GOSTARIA DE TER OUVIDO QUANDO ERA UM ESTUDANTE DE DIREITO?


Dedico a minha filha, Maria Eduarda Carrilho, para que ela possa escolher seu futuro profissional de forma consciente; que esta escolha possa trazer além da realização a alegria de fazer o que gosta, ser feliz. Eu torço muito por ela. Sempre! Amo muito você, filha.

Mamãe

Minha filha, Maria Eduarda Carvalho Carrilho Clebicar Nogueira 


Foi pensando nessa pergunta que escrevi esses conselhos com coisas que ouvi (mas não segui) ou gostaria de ter ouvido durante a faculdade. São conselhos que valem para os vestibulandos, estudantes do início da faculdade, formandos, jovens advogados, servidores públicos… enfim, para todos que respiram.



1. Leia de tudo

Veja o que eu disse: “leia de tudo”.


“Evinilson (as pessoas erram meu nome…), quer dizer que devo ler todas as matérias jurídicas?”. Não. Leia de tudo!

“Quer dizer Filosofia, Sociologia e Política?”. Novamente, não. Leia TUDO!

Quando digo tudo, quero dizer não apenas Direito, mas também Filosofia, Sociologia, Português, Literatura, Política, Física, Química, Biologia, Economia, Administração, Marketing, notícias, Revista Donna, gibis da Turma da Mônica e tudo mais que aparecer na sua frente. Qualquer leitura, ainda que aparentemente inútil, vai agregar algum conhecimento que, cedo ou tarde, será utilizado. Você só ligará os pontos no futuro.

No início da faculdade, estava na biblioteca estudando para uma prova. Vi que alguém havia deixado em cima da mesa um livro de uma disciplina que eu estudaria apenas alguns semestres depois. O título chamou a minha atenção. Então li por uns 30 minutos as partes que considerava mais importantes. Alguns anos depois, estava sentado diante de uma seleta banca de examinadores na prova oral da Defensoria. Em uma das respostas, mencionei esse livro. O examinador me interrompeu perguntando se eu tive acesso a essa obra. Respondi que sim e, então, ele sorriu.

No futuro, você ouvirá – se ainda não ouviu – sobre interdisciplinaridade, multidisciplinaridade e transdisciplinaridade. Em termos gerais, essas palavras significam a utilização de várias matérias diferentes para analisar algo. O profissional do presente já necessita dessas habilidades. O do futuro não sobreviverá no mercado sem elas.

Imagine conseguir relacionar a interpretação de um dispositivo legal com um texto literário, como Os miseráveis. Ou pensar na estrutura do Judiciário por meio de conceitos biológicos. Se isso não te interessa, veja por outro lado: quanto mais temas diferentes você ler, mais conteúdo terá para conversar com seus clientes, empregadores e colegas de profissão no futuro.


2. Vá aos livros, mas não tire os olhos da vida
Essa é uma frase autoexplicativa que ouvi do meu professor e amigo Hélio Coelho, mas, por algum tempo, não a apliquei na minha vida.

Busque o conhecimento, estude, atualize-se, mas não se permita ser um técnico desumano. Os livros apenas fornecem o conhecimento, mas é a vida que nos ensina o que fazer com ele.

Viver para os livros e não trazer os livros para a vida é um enorme perigo. Com o tempo, você verá apenas folhas de papel e letras em Arial 12, esquecendo-se de que, por trás de tudo isso, há pessoas concretas, de carne e osso, cujas vidas dependem do resultado desse processo.

Se você pretende advogar, precisará estudar muito, mas também deve estar inserido na sociedade, participar de eventos e de associações, conhecer pessoas etc. Há um ditado que diz: quem não é visto não é lembrado.


3. Saiba que seus únicos "patrimônios" são: nome, conhecimento e pessoas.
Quanto ao seu nome, refiro-me à forma como a sociedade te enxerga. Isso demora vários anos para ser construído e apenas alguns segundos para ser destruído. Seja e transmita a ideia de que você é responsável, honesto e ético. Isso vale para quem vai passar por uma investigação de vida pregressa em algum concurso ou para quem quer construir uma carreira sólida na iniciativa privada.

O conhecimento é seu instrumento de trabalho em qualquer carreira que você desejar seguir. Se você perder tudo, mas ainda tiver conhecimento, reconstruirá tudo que perdeu. Qualifique-se continuamente. De preferência, especialize-se e busque a excelência em determinada área, sem, contudo, deixar de ler outras disciplinas.

Há várias frases sobre a importância das pessoas na sua vida profissional e pessoal. Uma delas diz que “você é a média das 5 pessoas com quem mais convive”. Outra é que “se você quiser ir rápido, vá sozinho, mas se quiser ir longe, vá acompanhado.” Valorize as pessoas que estão ao seu lado desde o início, traga novas pessoas para a sua jornada e entenda que pessoas valem muito mais do que coisas.


4. Pense na vida que você quer ter antes de pensar no dinheiro que quer receber
Não estou dizendo que pensar no salário, honorários, subsídios ou qualquer coisa semelhante não seja relevante. Apenas entendo que você deva considerar a vida que quer ter antes de pensar especificamente nisso.

Quando fui Defensor Público, ouvi alguém me dizendo “por quanto você vendeu o seu maior sonho?”. Como diz o Clóvis de Barros Filho, “isso fere a alma”. Se você pensar em dinheiro antes de pensar no seu sonho ou na vida que deseja, essa pergunta sempre valerá para você. Você estará trocando seu sonho por um valor mensal. Isso é permitido, mas não é recomendável.

E não pense que você está trocando seu sonho pela única oportunidade que existe. Não há falta de oportunidades, mas sim falta de conhecimento sobre as oportunidades que existem. Costumo dizer que temos poucas opções: aquela que pensamos ser a única e todas as outras. Felizmente, você está no curso que oferece mais oportunidades.


5. Ouça os mais experientes.
Primeiro, não tenha medo de pedir conselhos e fazer perguntas a pessoas que estão em um nível profissional acima do seu. Essas pessoas estão sempre dispostas a abrir um espaço na agenda para conversar sobre os desafios que enfrentaram e dar suas valiosas opiniões.

Eu me lembro de que, no quarto semestre da faculdade, enviei um e-mail para um renomado autor de Direito Civil com uma pergunta. Estava muito preocupado com os termos que usaria, se chamaria de doutor, professor ou Excelência. No final, a resposta veio em menos de 24 horas em tom absolutamente informal.

Quando alguém me manda mensagem perguntando sobre tema do TCC ou algo parecido, normalmente minhas respostas têm 10 vezes o número de linhas da pergunta. Alguém pedir a sua opinião é uma das maiores formas de elogio que existe.

Dedique um tempo para conversar com essas pessoas mais experientes, pergunte qual é a melhor lição que poderiam te passar nesse momento e ouça atentamente. Se não conseguir encontrá-las, vá à Subseção da OAB de sua cidade ou à sede da Seccional do seu Estado. Tente fazer uma entrevista com o membro do Judiciário, do Ministério Público ou da Defensoria Pública da sua cidade.

Vamos fazer um desafio? Envie hoje uma mensagem ou um e-mail para alguém mais experiente que você. Pode ser seu ídolo em determinada disciplina, o seu autor favorito ou aquele professor que você pensa ser inacessível. E depois me diga se ele respondeu.


6. Ajude os menos experientes
Enquanto você está na faculdade, faça grupos de estudos, ofereça-se para ser monitor e ensine quem tem alguma dificuldade em determinada matéria. Depois de formado, dê aulas e palestras, ensine e seja voluntário em tudo que você puder.

Se os conselhos 5 e 6 forem aplicados conjuntamente, muitos procurarão os mais experientes e outros ajudarão os menos experientes, criando uma grande corrente do bem. A comunidade jurídica ficará muito mais qualificada e fortalecida.

Nem se cogite a ideia de que, ajudando os menos experientes, você terá mais concorrentes no futuro. Na verdade, é muito provável que o seu colega ajudado se transforme em um parceiro futuramente. Quando você ajuda alguém, o seu nome (conselho 3) passa a ter um novo defensor, alguém para dizer o quanto você é competente e altruísta. Sobre isso, recomendo a leitura do livro “Dar e receber”, de Adam Grant.

Na área criminal, esse tratamento fidalgo é percebido de forma mais fácil. Basta lembrar que o grande Criminalista Márcio Thomaz Bastos, no auge da sua carreira, dedicava-se a ensinar aos mais jovens e fazer parcerias com eles. Os bons Criminalistas gostam de ensinar e admiram os seus mentores do passado ou do presente.


7. Saia da zona de conforto todos os dias
Há praticamente 1 milhão de advogados no Brasil. O número de bacharéis em Direito é significativamente superior a isso. No meio dessa multidão, você pode ser apenas mais um ou pode buscar aquele desejável ponto acima da média.

A zona de conforto é onde o mediano/medíocre se encontra. Por outro lado, o desconforto é aquele ponto doloroso em que os verdadeiros resultados acontecem. A busca pela concretização de suas metas depende da constância desses projetos e desse desconforto. Se você quer conseguir um estágio, procure por uma vaga todos os dias. Se pretende passar em um concurso, dedique-se diariamente pelo tempo que for necessário.

Tudo que você fizer contribui ou não para alcançar o resultado que você deseja. Não existe meio-termo.

Se você não sente desconforto enquanto estuda, provavelmente não está dando o seu máximo. O desconforto é o melhor termômetro de nossa dedicação. Para um advogado, por exemplo, o conforto é ficar sentado no escritório vendo o tempo passar. Evidentemente, isso não é dedicação.

Busque superar os seus limites todos os dias. Estude um pouco mais do que você aguenta e não fique restrito às anotações da aula. Faça perguntas durante a aula, mesmo que seu coração fique acelerado e você comece a gaguejar. Seja hoje melhor do que foi ontem.


8. Não pense em cedo/tarde ou novo/velho
Alguns pensam que são novos demais ou que é muito cedo para fazer algo. Não existe “cedo”. A resposta é muito simples: não há treino para a vida. Tudo é vida. E fazer algo imperfeito é melhor do que não fazer aquilo que você imagina ser perfeito. Em outros termos, feito é melhor do que perfeito.

Portanto, faça aquela prova de estágio para a qual você imagina que não está preparado. Inscreva-se no concurso mesmo sem ter estudado por muito tempo. Faça a prova da OAB na primeira oportunidade em que isso for possível. Arrisque-se! Se você não tentar, terá 0% de chance de conseguir qualquer coisa.

Também não pense que é tarde ou que está velho demais para algo. A idade é apenas um número. O Direito é uma atividade intelectual e, enquanto você tiver ideias, ainda dá tempo de advogar, fazer concurso, publicar algo, dar aula e, principalmente, viver.

Em suma, afaste do seu vocabulário essas noções de tempo. Apenas faça o que precisa fazer neste exato momento.


9. Não seja tão dependente do impulso dos outros
Se você for sempre dependente do impulso de professores e orientadores, ficará desnorteado depois que o curso terminar. O seu curso durará 5 anos, mas seu período de aprendizagem terá inúmeras décadas.

Treine a habilidade de aprender sozinho e independentemente da cobrança de terceiros. Há um ditado que diz: “quem faz a faculdade é o aluno”. Assim, leia livros que seu professor não recomendou, revise as matérias que você já teve na faculdade, estude por conta própria aquelas matérias que você ainda não teve e leia os clássicos mesmo que seu professor indique livros esquematizados, mastigados ou resumidos.

Se deseja ser Advogado Criminalista no futuro, leia tudo sobre os autores garantistas, entenda os pensamentos punitivistas e não se limite a ler ementas ementas de decisões, pois os votos vencidos podem ser uma enorme vantagem para o Criminalista.

Você é o maior interessado no seu sucesso.



Advogado. Mestre em Direito. Pós-graduado em Direito Penal e Processual Penal. Professor de Direito.